No arranque da edição de 2016
Açores apurou primeiros finalistas

A 19.ª edição do Expresso BPI Golf Cup começou este fim-de- semana nos Açores, mais concretamente no Furnas Golf Course, em São Miguel, com 21 equipas em competição. O grande destaque foi para a Mercedes-Benz/AVM (Auto Viação Micaelense), campeã nacional em 2014, que venceu as Qualificações Regionais no sábado e também as Meias-Finais no domingo, sagrando-se assim campeã regional, pelo que recebeu o agora designado Troféu Rigoberto Oliveira, em homenagem ao grande golfista açoriano falecido em Março de AVC.

A Quinta da Marka foi vice-campeã e completou a dupla de quartetos que estará presenta na Final Nacional, a 4 e 5 de Novembro, novamente em São Miguel, mas no Batalha Golf Course. 

Mercedes-Benz/AVM (na fotografia) e Quinta da Marka apuraram-se com 79 pontos nas Meias-Finais, tendo havido ainda uma terceira equipa, a Açoreana Seguros, vinda da ilha Terceira, com o mesmo resultado. O desempate fez-se pelos melhores handicaps conjuntos e, nesse capítulo, o desfecho foi ingrato para esta, mas também para a Ilha Verde Rent-a-Car, que somou 78 pontos e que, pelo seu handicap, teria sido vice-campeã se tivesse feito menos uma pancada.

Francisco Bettencourt é o único elemento que se mantém na equipa da AVM que foi campeã nacional há dois anos, e a ele juntaram-se desta vez José Nicolau Melo, José Oliveira e Bruno Mendes. José Oliveira já foi duas vezes campeão nacional do Expresso BPI Golf Cup, em 2008 e 2009, em ambos os casos pelo BPI Açores e tendo como parceiro de jogo… Rigoberto Oliveira. 

“Não sei se é caso único aqui nos Açores, uma equipa ganhar as duas jornadas regionais do Expresso BPI Golf Cup, mas certamente que não é habitual,”, refere Bettencourt, que é também presidente do clube local, o Verdegolf, acrescentando. “Felizmente consegui fugir do discurso, porque ia ser complicado, provavelmente iria emocionar-me. Foi um gesto bonito, este de dar o nome do troféu ao Rigoberto, e, tendo nós o José Oliveira na equipa, acho que ficou muito bem entregue.”

A equipa da Quinta da Marka (enologia e turismo de habitação no Alto Douro) evoluiu com José Carlos Agrellos, Vítor Cruz, Brás Linhares e Paulo Santos, que em 2011 não só chegaram à Final Nacional, como aqui se qualificaram para a Finalíssima realizada nesse ano no Old Course de St. Andrews (ganha pela Viagens Abreu), mas em representação do BPI.

“Fomos muito homogéneos nos dois dias”, sublinha José Carlos Agrellos. “O campo pesado, o vento que se fez sentir e as posições difíceis das bandeiras tornaram difíceis as condições do jogo e isso fez com que os resultados globais não tivessem disparado como acontece por vezes nesta modalidade [texas scramble modificado], o que nos deu a chance de nos qualificarmos para a Final.”

Em representação da Açoreana Seguros estiveram Carlos Raulino, Jácomo Peixoto (pai e filho), Paulo Rocha e José Mendes. No sábado, Jácomo Peixoto fez um hole-in- one no buraco 11, com um ferro 4, que se revelou providencial no apuramento da equipa terceirense para as Meias-Finais.

Com 21 equipas em jogo no sábado, apuravam-se 12 para as Meias-Finais e mais uma Lucky Looser (por sorteio). O cut ficou fixado em 75 e deixou em prova para domingo, além das quatro primeiras classificadas já mencionadas, e por esta ordem, a Azores Golf Islands, Laboratório Brum e Freitas, Medifarma, a PT Empresas, NOS, Bensaude Hotels, Banco BIC Açores, Grupo Bensaúde e Sata (Lucky Looser), composta na sua totalidade por senhoras – Pilar Melo Antunes, Mary Anne Melo, Teresa Patrício e Ana Teixeira da Silva.