Terça-feira, 30 de Setembro
O que o vai levar a participar no Expresso BPI Golf Cup 2014?

Cinco por cento do valor das inscrições no Expresso BPI Golf Cup serão entregues à SIC ESPERANÇA para apoiar os seus projectos sociais.

Campeonato Nacional de Empresas - Ano XVII
Directora de Relações Públicas do BPI
Rita Lourenço

A Rita Lourenço e o Dr. Fernando Ulrich (actual CEO do BPI) foram os primeiros colaboradores, em Lisboa, da Sociedade Portuguesa de Investimento (SPI), que viria a dar lugar ao BPI. Como foram esses primeiros tempos? Quando a Sucursal de Lisboa da SPI abriu em 1983, fui convidada pelo Fernando Ulrich, com quem já trabalhava no Ministério das Finanças, para o acompanhar neste projecto. Durante quase um ano e meio, trabalhámos os dois sozinhos nesta sociedade que muito rapidamente cresceu. Foram tempos muito estimulantes, uma vez que o trabalho era muito diversificado, feito apenas por duas pessoas e há mais de 25 anos não havia as facilidades actuais como, por exemplo, computadores, telemóveis... Em 1985, a SPI passou a BPI e foi criado o BCI, componente comercial do banco de investimento, onde estive até 1993, data em que voltei para o BPI.

Actualmente desempenha as funções de directora de Relações Públicas. Quando voltei ao BPI, passei a desempenhar funções de apoio ao Private Banking. Foi nessa altura que começaram a surgir os primeiros torneios de golfe organizados pelo Banco e outras iniciativas de carácter desportivo, institucional e cultural. Com a aquisição do Banco Fonsecas & Burnay e, mais tarde, do Banco de Fomento e Exterior e do Banco Borges & Irmão, foi criada uma única Direcção de Relações Públicas, juntando pessoas desta área destes bancos, tendo eu ficado como primeira responsável.

A aposta no golfe remonta, então, a 1993. O primeiro torneio organizado pelo BPI foi o BPI Challenge, seguido do BPI Madeira e do BPI Açores. Estes dois últimos são disputados em cada uma das Ilhas entre jogadores locais e são sempre muito concorridos, chegando a fazerem-se ‘shot-guns' com 130 pessoas. No ano seguinte, em 1994, fez-se a primeira edição da BPI Cup, encontro Norte-Sul, inspirado na Ryder Cup (duelo EUA-Europa). Cada grupo de jogadores, devidamente fardados com as cores da equipa que representa, é liderado por um capitão. Nos primeiros anos, o Dr. Santos Silva era o responsável pela equipa do Norte, e o Fernando Ulrich pela equipa do Sul. Cada um deles, apesar de não jogarem golfe, alinhava as formações de pares. Ainda hoje, passados quinze anos, se organiza a BPI Cup. No fundo, mais do que quem ganha, o que mais nos move e interessa é o convívio entre todos os jogadores e as suas famílias.

O BPI Challenge também continua a realizar-se. Em que moldes? O BPI Challenge compõe-se de cinco ou seis torneios em Lisboa, habitualmente no Golfe do Estoril, e outros tantos no Porto, no campo do Oporto GC, em Espinho, num total entre 600 e 1000 participantes convidados. Os mais bem classificados em cada categoria são apurados para uma Final, que normalmente é disputada num campo de golfe do centro do país. Este ano realizou-se pela primeira vez o BPI Beiras e, em 2009, deverá estrear-se o BPI Algarve, estando a ser ponderada a integração das respectivas classificações no apuramento para a final do BPI Challenge.

Quando nasceu o Expresso BPI Golf Cup, em 1998, alguma vez imaginou que este evento pudesse alcançar semelhante sucesso? Tínhamos esperança de que se tornasse grande, mas não tão grande. Depois, com o passar dos anos, então sim, acreditámos que pudesse atingir a dimensão que tem hoje em dia. O Expresso BPI Golf Cup, uma ideia proposta pela Media Golf ao Banco BPI, não sendo directamente organizado por nós, foi de início acompanhado de muito perto, no sentido de manter a imagem dentro dos padrões habituais, impondo-se rapidamente pela sua qualidade e profissionalismo.

 Na sua opinião, quais os motivos que levaram ao sucesso do Expresso BPI Golf Cup? A organização, a dedicação e o empenho foram importantíssimos. No Expresso BPI Golf Cup cada participante é tratado de forma individual. Penso que a assistência personalizada e o conhecimento de cada jogador que participa neste torneio faz toda a diferença.

Como é que viu este ano a vitória de uma equipa do BPI no evento? É o que se chama ‘ganhar em casa'. Tenho o maior orgulho nisso. A história por detrás desta vitória é muito engraçada: O Dr. José Carlos Agrellos, ao fim de muitos anos a jogar pela equipa do BPI nos Açores sem nunca se apurar, achou que estava a ser um "fardo", resolvendo então constituir uma equipa que lutasse pela vitória. Para o seu lugar, convidou um "peso-pesado" do golfe no BPI, o Gonçalo Xavier. Com esta nova equipa, o BPI ganhou as Qualificações Regionais, a Final Nacional e agora a Finalíssima em St. Andrews, na Escócia. O Gonçalo, com a sua modéstia habitual, não quis admitir que ficou em primeiro. Segundo ele, a outra equipa (foram duas as equipas que disputaram a finalíssima) ficou em último e, portanto, a do BPI terá sido a penúltima...

O BPI, além de ser um dos principais patrocinadores da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), está também presente em muitos driving-ranges (campos de treino) espalhados pelo país... Uma vez que o BPI está muito envolvido neste desporto, faz todo o sentido esta ligação à FPG na projecção e apoio do golfe em Portugal. Também patrocinamos a Associação Portuguesa de Seniores há mais de 13 anos. Quanto aos campos de treino, são, com efeito, uma das nossas imagens de marca. Tudo começou com a oferta de bolas para o driving-range do Jamor, tendo como contrapartida a colocação de divisórias BPI. A partir daí, temos vindo a ser contactados por vários clubes de golfe para este tipo de apoios. Actualmente, 25 campos de treino, incluindo nas Ilhas, são patrocinados pelo BPI, que tem o seu logótipo nas divisórias, bolas e nas marcas de distâncias.

Apesar de estar muito envolvida no golfe, não joga... Mas gosto imenso. Aliás, nasci e moro ao lado de um campo de golfe, o do Estoril. Antigamente, como não havia tantos jogadores, eu e os meus irmãos brincávamos e andávamos de bicicleta no campo. Já tive algumas aulas, mas falta-me o tempo. Estou muitos fins-de-semana fora, em eventos, e gosto de estar com a família no pouco tempo livre

Esta entrevista foi realizada pelo jornalista Rodrigo Cordoeiro e foi publicada pela primeira vez na edição de 27 de Dezembro do caderno GOLFE do jornal Expresso.

Shots de outros sponsors:
PUB
04 de Outubro
Meia Final - Norte
Estela Golf Club
11 de Outubro
Qualificação Regional - Madeira
Clube de Golf Santo da Serra
12 de Outubro
Meia Final - Madeira
Clube de Golf Santo da Serra

Veja aqui o calendário completo

O melhor shot é ajudar quem precisa
Os capitães das 23 equipas finalistas do ano passado, em representação das 332 equipas de empresas que participaram nessa edição da prova, entregaram, a Mercedes Balsemão, presidente da SIC Esperança, o donativo de 2013.
ler mais

Tomás Silva
Campeão Nacional Absoluto 2014
"Marco a minha bola com um boneco. Encarnado, claro. Sou do Benfica!"
ler mais

Pedro Rodrigues
Reecordista Nacional dos 400 metros barreiras. Integrou a equipa campeã do Expresso BPI Golf Cup 2013
"O campo onde gostei mais de jogar foi o Vidago Palace. É lindo."
ler mais

© Mediagolf - Todos os direitos reservados     |